• Baixe Nosso Catálogo!

Catálogo de Produtos

Fertilizantes e agrotóxicos: quais as principais diferenças?

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Homem no pomar observando fertilizantes e agrotóxicos

Quando o assunto é manter o pomar produtivo e saudável, há sempre uma série de alternativas no mercado. A tecnologia e a ciência vêm trabalhando em conjunto na missão de oferecer sempre produtos que auxiliem o homem do campo em seus maiores desafios.  Entre as opções, estão os fertilizantes e os agrotóxicos. Muitos confundem um e outro, ou acreditam que ambos são a mesma coisa. Mas a verdade é que trata-se de dois produtos diferentes em vários aspectos, da composição à finalidade.

Não sabe quais são as principais diferenças entre fertilizante e agrotóxico? Neste post, explicamos o que é cada um e qual a sua finalidade. Tudo para você saber exatamente qual é a melhor opção para a sua plantação e nunca mais confundir. Confira!

O que são os agrotóxicos?

Definidos pela lei 7.802 de 11 de julho de 1989, os agrotóxicos são produtos ou processos de origem química, física e biológica, que podem ser utilizados ao longo de toda a cadeia produtiva da planta. A finalidade principal dos agrotóxicos é alterar a fauna e a flora com o objetivo de preservar a plantação da ação danosa de seres vivos considerados nocivos. Dentro do grupo dos agrotóxicos, há várias opções que são utilizadas de acordo com as diferentes necessidades, como:

  • Fungicidas: utilizados na prevenção e no controle de fungos.
  • Inseticidas: utilizados para prevenir e controlar a propagação de insetos nas plantações;
  • Bactericidas: administrados com o objetivo de evitar e tratar a contaminação por bactérias;
  • Herbicidas: atuam no controle e ervas daninhas;
  • Promotores de crescimento de planta: são utilizados com o objetivo de auxiliar no crescimento das plantas.

E os fertilizantes?

Peça fundamental para produções de grandes áreas e culturas de grande expansão, os fertilizantes foram regulamentados em uma lei mais antiga — a lei 6.894 de 1980 —, que foi mais recentemente alterada pelo decreto 4.954 de 2004. Assim, fertilizante é tudo aquilo que tem função nutricional; a composição pode ser de elementos orgânicos, minerais ou metálicos, por exemplo, fazendo parte direta ou indiretamente de todos os processos metabólicos da planta. São exemplos de elementos que podem aparecer em fertilizantes:

  • Nitrogênio: responsável pelo crescimento das plantas e produção de novas células  e tecidos, além de atuar na formação da clorofila.
  • Fósforo: auxilia no processo de fotossíntese, respiração, e armazenamento e transferência de energia.
  • Potássio: atua diretamente nos estômatos, tem papel importante na fotossíntese e é ativador de enzimas.
  • Cálcio: promove a redução da acidez do solo e melhora o crescimento das raízes.
  • Enxofre: atua na formação de aminoácidos e participa dos processos metabólicos da fotossíntese.

Quanto à fabricação de fertilizantes, há uma série de instruções normativas que regulamentam essa questão; elas valem tanto para a produção de fertilizantes líquidos quanto de fertilizante sólidos. Essas instruções determinam, entre outras coisas, quais são as garantias mínimas dos elementos adicionados à fórmula e quais outros elementos úteis, que são classificados como aditivos, podem ser inseridos nela.

Quais as diferenças entre fertilizantes e agrotóxicos?

Como você viu, fertilizantes e agrotóxicos não são a mesma coisa. Enquanto o fertilizante tem a função de deixar o solo mais fértil e propício ao desenvolvimento de plantas, os agrotóxicos são utilizados no combate a determinados problemas, que podem ser causados por fungos, bactérias, vírus, insetos e pestes em geral.

No caso dos fertilizantes, sua função é, ainda, por meio de uma nutrição adequada, melhorar a produção e a qualidade dos frutos, garantindo uma colheita com o máximo de sua capacidade.

Além disso, os agrotóxicos são compostos químicos tóxicos (e, por isso, atuam no trabalho contra os problemas citados acima). Por isso, seu uso em excesso pode ser perigoso, tanto para o solo quanto para quem vai consumir os frutos da plantação. Isso acontece pelo fato de que os elementos tóxicos que se encontram nos agrotóxicos podem ser transmitidos aos alimentos quando utilizados em excesso, o que não acontece com os fertilizantes.
Agora que você já sabe as diferenças principais entre esses dois tipos de produto, que tal conhecer o GRANBLACK, o fertilizante líquido que é ferramenta no combate ao Greening?

Deixe um comentário:

Descarga nuestro Catálogo de Productos!

Download our Product Catalog!

Envie seu currículo

Mande seu currículo através do formulário abaixo. Entraremos em contato quando houverem vagas.

novidade

fique atento!

Empresas fazem uso inadequado de patente exclusiva do IAC