Catálogo de Produtos

As 6 melhores práticas para o seu canavial

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
As 6 melhores práticas para seu canavial

Os técnicos da Amazon AgroSciences listaram as 6 principais práticas de manejo que são necessárias para que o canavial possa atingir todo o seu potencial produtivo.

Um canavial saudável, com um bom manejo nutricional e preparado para os estresses, são algumas das principais práticas para o bom cultivo. Saiba como fazer.

1. Escolha das variedades ideais

A escolha ideal da variedade de cana-de-açúcar que iremos plantar no nosso canavial é de extrema importância. Atualmente, estão disponíveis diferentes genótipos, que são adaptados a diferentes ambientes de produção e resistentes a pragas e doenças.

Plantar de maneira correta e aumentar a produtividade é parte essencial do planejamento do setor sucroenergético.

A decisão de qual variedade adotar e em qual área plantar, depende de três fatores principais:

● Ambientes de produção

● Época de colheita

● Resistência a pragas e doenças

Os ambientes de produção são as características e as interações do solo com as plantas. Existem variedades mais responsivas aos diferentes tipos de ambientes de produção. Identificar o ambiente de produção e saber as características do solo nos ajuda a decidir onde serão plantadas cada variedade, para que possamos ter o máximo aproveitamento do seu potencial produtivo.

Imagem de João Lima por Pixabay

O segundo fator, a época de colheita, precisa ser definido para sabermos onde alocar as variedades com ponto de maturação ótimo para o período estabelecido.

O último fator a se levar em consideração é a resistência das variedades de cana-de-açúcar as pragas e doenças da cultura. Cada localidade tem a doença que mais lhe causa prejuízos e algumas pragas que estão presentes. Antes de alocar, é necessário avaliar a resistência de cada variedade e os métodos de controle disponíveis.

2. Monitorar e controlar as pragas

Manejar bem as pragas da cana-de-açúcar é sem dúvidas um dos passos mais importantes para uma produção bem-sucedida. Um manejo errado diminui a rentabilidade no campo e consequentemente a produção de açúcar e etanol.

Sabemos que as brocas são as principais pragas da cana-de-açúcar. Com apenas 1% de infestação, a broca-da-cana pode gerar uma perda equivalente de 35 quilos de açúcar e 30 litros de álcool, por hectare.

Hoje, contamos com a tecnologia da Cana Bt, que auxilia muito no combate e controle das brocas. A tecnologia ajuda também a combater outros insetos-praga que prejudicam demais a nossa produção.

Na cultura da cana-de-açúcar o uso do controle biológico é uma prática corriqueira e eficiente. Para o controle das brocas, o método mais comum é a utilização de parasitoides naturais, como:

Cotesia flavipes;

Trichogramma galoi;

Metagonystilum minense;

Paratheresia claripalpis.

No controle de cigarrinhas, microrganismos como o fungo Metarhizium anisopliae é um dos mais utilizados.

O uso do controle químico também é presente, porém, com menores quantidades quando comparamos a outras culturas. Para o controle das brocas o controle químico tem quer realizado na região do palmito da planta. Entretanto, pode ser pouco eficiente devido ao hábito de vida da lagarta.

Para outras pragas, como cigarrinhas, cupins, besouros e formigas, por exemplo, o controle químico por inseticidas sistêmicos é mais recomendado. É importante lembrar sempre que o monitoramento das pragas na cultura da cana deve ser contínuo.

3. Cuidados com a soqueira

As pesquisas indicam que a cada rebrota da cana há uma diminuição em 8,5 toneladas de cana por hectare (TCH). Com isso, ao chegar no quinto corte a produtividade é tão baixa que não paga os custos de produção. Hoje, o plantio de cana custa em torno de R$ 6 mil por hectare.

A média de idade do canavial está próximo dos 3,8 anos, sendo que o ideal é 3,5 anos. Com isso, e para que a cana soca tenha uma maior longevidade produtiva, precisamos acertar no manejo.

A partir do terceiro corte, precisamos ficar atentos às falhas que surgem no canavial. Fazer o replantio aumenta entre 10 e 16 TCH nos cortes seguintes. Essa prática faz com que o custo de produção por hectare diminua. A diferença do custo entre lavouras com e sem falhas pode ser de até 1,5 vez maior.

Imagem de Kathryn Bowman (nee Selfe) por Pixabay

O manejo e controle das plantas daninhas na soqueira da cana também interferem na boa produtividade. O controle preventivo e o manejo integrado de plantas daninhas é essencial durante principalmente o período pós corte.

Utilizar herbicidas pré e pós emergente é uma alternativa, porém precisamos ter cuidado na escolha do produto e no momento de aplicação. É necessário também levar em conta as características físico-químicas do solo e as condições climáticas do local.

Nessa fase pós corte, o sistema radicular da planta precisa se desenvolver para que haja maior absorção de nutrientes e para que a planta não sofra com o déficit hídrico. Por isso, a o manejo da adubação, o fornecimento de micronutrientes e a preparação da planta para os estresses é essencial.

4. Adubação com micronutrientes

Os micronutrientes essenciais para a cultura da cana-de-açúcar são: boro (B); Cobre (Cu); Cloro (Cl); Ferro (Fe); Manganês (Mn); Molibdênio (Mo) e Zinco (Zn). Cada um possui sua função no metabolismo das plantas.

Segundo pesquisas realizadas pelo Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, independente do tipo de solo e variedade empregada, a cana-planta apresentou ganhos expressivos de produtividade com a aplicação de micronutrientes, principalmente para zinco, molibdênio e manganês.

O zinco foi o micronutriente que proporcionou os maiores ganhos de produtividade ‑ média de 17 % de aumento.

Os micronutrientes estão relacionados com o desenvolvimento e maturação da cana-de-açúcar. O boro é responsável pelo desenvolvimento das raízes e transporte de açúcares, o zinco está ligado à síntese de carboidratos e potencializa o hormônio de crescimento.

O molibdênio aumenta a eficiência da adubação nitrogenada e a produção de sacarose. O manganês é responsável pela síntese de clorofila e desenvolvimento da raiz. O cobre é essencial no balanço dos nutrientes e auxilia na resistência de doenças.

A Amazon AgroSciences tem um produto que consegue suprir a necessidade dos micronutrientes do seu canavial. Utilizando o NUTRIFLORA MIX, as plantas de cana-de-açúcar vão ter suprida a demanda de micronutrientes e a correção das deficiências nutricionais.

5. Preparação da planta para o déficit hídrico

Maximizar a produção e prevenir as plantas dos estresses é uma das práticas que mais precisa ser efetiva. A partir dela as outras práticas formam um conjunto e é possível ter excelentes resultados. Por isso, não podemos esquecer de preparar a planta para a falta de água, problema que a cada ano atinge mais regiões produtoras.

De todos os estresses que a planta pode passar, o déficit hídrico é um dos maiores responsáveis no que diz respeito à impedância do canavial em alcançar altos rendimentos. Principalmente durante o ciclo de crescimento das plantas.

Na formação da cultura, nas fases de perfilhamento e crescimento intenso é quando a falta de água é mais crítica e resulta em perdas de produtividade. Nesse período, as plantas apresentam grande área foliar e necessitam de maiores quantidade de água para seu metabolismo e trocas gasosas.

Nessa fase, o déficit hídrico reduz as taxas de crescimento de colmos, produção de massa fresca e no rendimento da sacarose. Por isso, desde o início do ciclo produtivo, a Amazon AgroSciences recomenda a utilização do SEAGRASS.

SEAGRASS estimula o maior crescimento de raízes, aumentando suas massas (verde e seca), e ainda contém osmoprotetores, compostos como betaínas, que ajudam a proteger plantas contra tensões associadas à seca, geadas e condições de salinidade

6. Reforma do canavial

Dependendo das variedades, clima e manejo do solo e água, a cana-de-açúcar permite de três até seis colheitas consecutivas. No final do seu ciclo produtivo, precisamos escolher como manejar a reforma do canavial.

Existem algumas alternativas para reformar o canavial. Podemos escolher plantar outra cultura em rotação, como adubos verdes ou alguma leguminosa para ajudar nas condições físico-químicas do solo.

Ou, podemos plantar cana sobre cana, para garantirmos aumento da renda. Essa decisão tem que ser tomada com base em um planejamento agrícola bem feito, levando em consideração os custos de produção de cada safra e os custos que temos atualmente.

Na hora de renovar o canavial, precisamos levar em consideração cinco fatores que vão auxiliar nas tomadas de decisão:

1. Escolha correta da variedade

2. Análise da situação atual do solo

3. Manejo correto da adubação de plantio

4. Escolha correta do ambiente de produção

5. Controle de plantas daninhas

A análise do solo também é importante para a reforma do canavial. As informações sobre a fertilidade do solo, saber se é preciso corrigir a acidez do solo e a necessidade de gessagem são essenciais para uma reforma de qualidade e garantem o potencial produtivo da variedade.

Para a cultura da cana, a gessagem tem papel importante. Devido ao seu sistema radicular profundo, proporciona melhores condições ao canavial. A gessagem é feita para a melhoria da camada subsuperficial do solo e o sistema radicular das plantas.

Em todas as fases da cultura, os técnicos da Amazon AgroSciences indicam o uso conjunto dos produtos NORTHOFOS e FUEL BLACK POWER. Essa combinação é uma verdadeira alavanca de produção.

O NORTHOFOS foi formulado para o melhor aproveitamento do fósforo pelas plantas. Utilizando uma fonte de fósforo com cadeias longas, é mais facilmente absorvido pelas plantas e quase nada fica retido no solo. A recomendação é utilizar NORTHOFOS no plantio e germinação dos toletes. Para cana soca, nos primeiros 45 dias após o corte, os técnicos recomendam aplicar 5 L/ha via foliar.

Já o FUEL BLACK POWER fica responsável pelo maior perfilhamento e enraizamento da cana soca, principalmente pela perda de massa de raízes devido a compactação do solo na mecanização. O FUEL BLACK POWER também é importante na fixação biológica do nitrogênio no solo, devido ao seu efeito na relação Carbono/Nitrogênio (C/N) muito boa para os microrganismos do solo.Conheça toda a linha de produtos AMAZON AGROSCIENCES e consulte nossos técnicos especializados.

Texto por:

Deixe um comentário:

Faça o Download de nosso Catálogo de Produtos!

Amazon AgroSciences Fertilizantes Líquidos de Alto Desempenho Imagem Com Capa de Catálogo de Produtos

Descarga nuestro Catálogo de Productos!

Download our Product Catalog!

Envie seu currículo

Mande seu currículo através do formulário abaixo. Entraremos em contato quando houverem vagas.

Não vá ainda!

Baixe grátis nosso catálogo!

Amazon AgroSciences Fertilizantes Líquidos de Alto Desempenho Imagem Com Capa de Catálogo de Produtos